Ir para o conteúdo

Prefeitura Municipal de Contagem e os cookies: nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
ACEITAR
PERSONALIZAR
Política de Cookies e Privacidade
Personalize as suas preferências de cookies.

Clique aqui e consulte nossas políticas.
Cookies necessários
Cookies de estatísticas
SALVAR
Prefeitura Municipal de Contagem
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Rede Social Flickr
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
Foto Noticia Principal Grande
Foto: Luci Sallum/PMC
enviar para um amigo
receba notícias
Fator é preponderante para o crescimento do número de pessoas economicamente ativas que trabalham com carteira assinada 

O grande volume de novas empresas atraídos para o município de Contagem, nos últimos três anos, é um fator importante que tem contribuído com a economia local e, também para o crescimento de cerca de 5,14% da sua População Economicamente Ativa (PEA), trabalhando com carteira assinada na cidade. Os dados podem ser conferidos no Painel do Inteligência Sebrae

Ao todo, Contagem teve saldo positivo de 4.764 novas empresas nos últimos três anos, o que corrobora com a reconstrução do ambiente de negócios do município, empreendidas pela atual gestão. Os dados podem ser apurados no Mapa de Empresas, do Governo Federal, que é abastecido com informações provenientes do cadastro nacional de pessoas jurídica, da Receita Federal, e foi compilado pelo Observatório Socioeconômico de Contagem, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico.  

Somente no ano de 2023, por exemplo, Contagem registrou um saldo positivo de 1.472 novas empresas. Em 2022, Contagem anotou um saldo positivo de 1.558 e, em 2021, esse quantitativo foi de 1734. Esse cálculo exclui o registro de Microempreendedores Individuais (Meis). 

População Economicamente Ativa (PEA) 

A PEA é a parcela das pessoas que podem trabalhar no setor produtivo. No Brasil, integram esse critério pessoas com idade entre 15 e 65 anos – entretanto, entre os 15 e 18 anos só são permitidas atividade profissionais em caráter de aprendizado. Pessoas com 65 anos, por sua vez, é o início da idade máxima para a aposentadoria.  

Proporcionalmente à população total da cidade de Contagem, que é de 621.863 pessoas, apurada pelo Censo de 2022 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), o percentual da PEA é de 445.864.  

O crescimento de 5,14% do PEA é a soma de crescimento entre um ano e outro, nos últimos três anos e o fato de o crescimento continuar, confirma a tendência de crescimento. Em 2023, por exemplo, o crescimento da proporção da PEA de Contagem foi de 1,51%, na comparação com essa mesma parcela do PEA em 2022.  

Em números brutos, a fração da população economicamente ativa de Contagem que teve pelo menos um registro de carteira assinada em 2023 foi 256.020 pessoas, proporcionalmente, 41.17% desse universo de 445.864 de habitantes com idade entre 15 e 65 anos.  

Em 2022, o crescimento da PEA trabalhando com carteira assinada foi 1,39%, na comparação com 2021. Novamente, em valores totais, a fração da população economicamente ativa de Contagem que teve pelo menos um registro de carteira assinada em 2022 foi de 176.829 pessoas, 39,66%, proporcionalmente.  

Já no ano de 2021 esse crescimento foi de 2,24%, na comparação com o ano de 2020. Em números brutos, a fração da população economicamente ativa de Contagem que teve pelo menos um registro de carteira assinada em 2021 foi de 170.632 habitantes. Proporcionalmente, 38,27% 

Outras cidades  

Comparativamente, a cidade de Betim anotou um crescimento acumulado da sua PEA com carteira assinada de 4,47% nos últimos três anos. Na cidade de Uberlândia, com uma população de 713.232 habitantes, sua PEA acumulou um crescimento de 3,87% no mesmo período.  

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, René Vilela, explicou que esse resultado se deve a dois marcos da política de desenvolvimento econômico da atual gestão: a busca da superação da crise econômica e social causada pela pandemia de Covid-19 e o fortalecimento da cadeia produtiva local. “Esse é um dado muito positivo, pelo seu desdobramento em todo setor econômico da cidade. Quanto mais pessoas formalmente empregadas, maior é a segurança e a dignidade de renda dessas famílias. Com isso, eleva-se seu poder de compra, aquecendo a economia. É um ciclo virtuoso”.

Autor: jornalista Guilherme Jorgui / Edição: João Cavalcanti
Seta
Versão do Sistema: 3.4.0 - 05/02/2024
Copyright Instar - 2006-2024. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia